TIP Projetos

Falando de gerenciamento de projetos para profissionais criativos: métodos ágeis [parte 4]

MÉTODOS ÁGEIS

No momento histórico em que estamos, a busca pelo “ágil” é coerente, já que podemos partir da definição: “que se movimenta com facilidade: ligeiro, leve” (SABBAGH, 2013, p. 18).

Nas diversas áreas de negócio, desde a indústria farmacêutica ao desenvolvimento de software, tem sido frequente a demanda do cliente por inovação, baixo custo e atualizações (mudanças). Dessa forma, surge a necessidade de gerenciar os projetos de forma diferente. A área de Tecnologia da Informação (TI) saiu na frente e assumiu o conceito de agilidade. Hoje já se fala na importância de outras áreas assumirem esse conceito como atitude. Por exemplo: a professora Jeanne Ross do MIT (Massachusetts Institute of Technology) defende a adoção dos conceitos ágeis na economia e na administração (CREATIVANTE, 2014).

Entender as diversas ferramentas existentes no mercado pode levar você a ter um bom conjunto delas para ajudar em cada momento do projeto, lembrando que o mais importante é aperfeiçoá-las e adaptá-las no decorrer do tempo.

Além disso, é importante sublinhar que nenhuma ferramenta é perfeita ou completa. Assim, é necessário estar atento às limitações e às qualidades de cada uma.

Várias ferramentas, que seguiam seus princípios apresentados no Manifesto Ágil, foram agrupadas sob o nome de AGILE.

Alguns modelos e ferramentas são facilmente adaptados a outras áreas, como: Scrum, Kanban, Lean, Canvas.

O MODELO TIP apresentado no próximo post é um modelo híbrido que utiliza, além dos conceitos considerados tradicionais de gerenciamento de projetos,  os princípios ágeis como base e algumas dessas ferramentas já consagradas.

Compartilhe em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.