TIP Projetos

Falando de gerenciamento de projetos para profissionais criativos: conceitos básicos [parte 2]

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

Os conhecimentos de gerenciamento de projetos começaram a ser organizados a partir do desenvolvimento de projetos ligados à indústria bélica e com o passar do tempo, se formou um corpo de conhecimentos muito denso, com ferramentas e processos muito detalhados.

Neste capítulo, apresento alguns conceitos básicos com o intuito de gerarmos uma base de conhecimento que permita o entendimento do modelo proposto.

PDCA (Plan-Do-Check-Act)

Um conceito que tem permeado a utilização dos diversos modelos de gerenciamento é o de melhoria contínua (Kaizen), que pode ser aplicado também em diversas áreas do conhecimento, desde processos de manufatura até psicoterapia. Hoje popularizado pelo chamado ciclo PDCA (Plan-Do-Check-Act), – em português: planejar, fazer, verificar e agir – para correção e melhoria do processo. Este ciclo aparece tanto nas boas práticas apresentadas pelo PMI (Project Management Institute) quanto no sistema de produção de grandes empresas.

Projeto e Produto

O PMBOK®  Guide (PMI, 2013, p. 5) apresenta a definição de projeto mais aceita e utilizada: “Projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.”

O que o arquiteto, o engenheiro, o designer de produto ou o designer de interiores e seus clientes chamam de projeto é o produto a ser elaborado.

Assim, o produto, no caso do arquiteto, é composto por plantas, cortes, fachadas, perspectivas, caderno de especificações, etc., enquanto projeto compreende todo o esforço feito para chegar a esse produto final, que pode incluir: reuniões com clientes, fornecedores e outros projetistas, visitas a lojas, elaboração de croquis, pesquisas de referências, elaboração dos desenhos, etc… Várias dessas atividades o cliente não percebe que estão sendo feitas, mas precisam ser programadas e contabilizadas.

Gerenciamento de Projetos

Para o PMI (2013) o gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de atender aos seus requisitos. O gerente do projeto deve desenvolver habilidades interpessoais e conhecer as técnicas de gerenciamento a fim de conseguir sucesso para o projeto.

Partes Interessadas ou Stakeholders

“Uma parte interessada é um indivíduo, grupo ou organização que pode afetar, ser afetada ou sentir-se afetada por uma decisão, atividade ou resultado de um projeto” (PMI, 2013, p. 30). As partes interessadas têm diferentes níveis de responsabilidade e autoridade, e esse nível pode mudar ao longo do projeto.

Fases do Projeto

Uma fase de um projeto “é um conjunto de atividades relacionadas de maneira lógica que culmina na conclusão de uma ou mais entregas” (PMI, 2013, p. 41). O foco em cada fase é específico. Cada fase necessita de uma aprovação.

A relação entre as fases pode ser sequencial ou sobreposta. Assim, o anteprojeto (AP) é sequencial em relação ao estudo preliminar (EP), enquanto que o projeto legal (PL) pode ser sobreposto ao AP.

O trabalho de gerenciamento de projetos deve começar antes da elaboração de qualquer produto e termina depois  – isso porque antes de pôr a “mão na massa” é necessário organizar o trabalho a ser feito e no final deve-se fazer o encerramento e conseguir o aceite do projeto.   O gerenciamento de projetos começou a ser organizado em três áreas de conhecimento: escopo, tempo e custo. Com o passar do tempo, agregou-se a qualidade como quarto elemento. Mesmo os que reconhecem apenas essas quatro áreas como essenciais não podem ignorar o elemento mudança.

Compartilhe em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.