TIP Projetos

Faces do empreendedor

Fonte: Pixabay

Você sabia que em 1994 foi publicado o livro JOB SHIFT, cujo autor, William Bridges, abordava a tendência em relação ao fim do emprego, pelo menos como nós o conhecemos. A partir daí, propunha que cada pessoa deveria olhar para si mesma como uma empresa: “Você & Co”. Assim, cada um seria responsável pela sua trajetóriae para isso deveria preparar-se, criar e manter sua rede de relações (sistema de apoio nas oportunidades e nas crises), atualizar suas habilidades, reorganizar suas prioridades, definir seu marketing pessoal e se lançar da mesma forma que uma empresa. Dentro deste conceito você é o único responsável pelo seu crescimento pessoal e profissional.

Você precisa ser um empreendedor!

A palavra empreendedor, na maioria das vezes, aparece associada a “ter um negócio” ou, em outras palavras, “ser um empresário”, mas esta não é a única forma de ser um empreendedor. Você pode empreender na sua vida pessoal, na empresa em que é um funcionário, sendo um autônomo ou até mesmo, ser um empresário.

No dicionário encontramos definições para empreender como: decidir realizar tarefa difícil e trabalhosa, pôr em execução e realizar. Enfim ... empreender é fazer acontecer!

Para empreender é preciso atitude, energia, trabalho duro, resiliência evolutiva, aceitar os próprios erros, transformar sonhos em ação, saber conviver com a incerteza, contribuir para o crescimento dos que estão ao seu redor ... e muito mais. Empreender é saber que nem tudo é glamour, que pode doer, mas você pode mudar o mundo.

Algumas empresas de grande porte incentivam o intraempreendedorismocriando oportunidades de empreender, o que, em muitos casos, é um elemento motivador, mantendo a equipe energizada.  

Ser empreendedor na vida pessoal é o que leva alguém a planejar-se (sua saúde; suas finanças; socialmente; intelectualmente; espiritualmente etc.) ou ainda, atingir suas metas (aparentemente) mais simples para um novo período.

Na sua atuação profissional empreender passa por desenvolver habilidades e conhecimentos necessários para ser um profissional melhor e mais completo, o que inclui conhecimento técnico específico de sua área de atuação, atualização tecnológica e desenvolvimento de habilidades interpessoais (soft skills). Se oobjetivo é construir um negócio próprio, você precisa desenvolver competências que talvez nunca tenha tido sequer a oportunidade de pensar sobre elas.

O que leva alguém a pensar em construir um negócio próprio?  Sem ter a pretensão de esgotar o tema posso citar algumas razões:

° Vocação empreendedora – Algumas pessoas são empreendedores natas.Desde cedo pensam em possibilidades de negócios e trabalham para efetivá-los. Ao estabilizar um negócio, muitas vezes começam outro.

° Necessidade – Nos períodos de crise, os altos índices de desemprego levam profissionais a se reinventar e trabalhar por conta própria, normalmente não desistem da ideia do emprego formal e continuam em busca de um.  Neste caso é uma motivação temporária.

° Ilusão financeira – Neste perfil, encontramos aqueles que enquanto empregados formalmente desenvolvem uma percepção de que o dono do negócio tem uma vida fácil e que ganha muito dinheiro, assim se trabalhar por conta própria ficará rico; acha que vai trabalhar menos e ganhar mais.

° Autonomia criativa – profissionais liberais em geral e principalmente os que exercem trabalho autoral (criativo) acreditam que só poderão exercer plenamente o seu ofício se estiverem a frente de seu próprio negócio. Este tipo de profissional normalmente foi “treinado” em sua área técnica e não para gerir um negócio, desconhecendo os princípio básicos de gestão.

Vamos ao caso de profissionais como arquitetos e designers que desenvolvem suas habilidades relacionadas à criatividade durante o período de formação universitária.Todos sonham com o próprio escritório, mas de modo geral, não estão preparados para usar o boné do ser criativo e o boné do ser gestor. Têm dificuldade de priorizar tarefas, delegar de forma correta, atender as expectativas do cliente em relação a cronograma e custo, só para citar algumas delas.

Complementar essa formação é essencial, até porque nos dias de hoje, não se pode pensar em profissionais que não tenham essas novas habilidades. Adaptar-se às novas exigências é fundamental para permanecer no mercado.

E você? É um empreendedor? Você faz acontecer?

#arquitetoempreendedor #arquiteto #arquitetura #empreendedor #modelotip #gestao #gerenciamentode projetos

Compartilhe em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.