TIP Projetos

A importância dos casos práticos em gerenciamento de projetos.

Recentemente tenho percebido alguns questionamentos em relação à teorização das áreas e práticas de gerenciamento de projetos. A partir daí, comecei a fazer algumas reflexões, afinal sempre falamos das “boas práticas” de gerenciamento de projetos.

1.       Em mais de 10 anos ministrando aulas em MBAs de Gerenciamento de Projetos, percebo que muitos alunos chegam aos cursos sem nunca ter trabalhado com projetos e consequentemente sem reflexões e experiências sobre o tema, o que torna a aplicação imediata dos conceitos e as reflexões mais profundas quase que impossíveis. Após o curso, conseguem a certificação, mas ao se depararem com os problemas em “tempo real” sentem-se perdidos.

2.       Disciplinas como cultura organizacional, gestão de mudanças e habilidades interpessoais muitas vezes são consideradas “menos importantes” em relação a outras como: escopo, tempo, custo ou riscos.

3.       “Tratar” os diversos stakeholders ao longo do projeto depende, muitas vezes, de experiência anterior e de lições aprendidas registradas.

4.       Registro de lições aprendidas é outro “calo” dos gerentes de projetos. Poucos estão realmente satisfeitos com a forma que tem sido feito.

5.       Um amigo comentou recentemente que o gerente de projetos tem que agir imediatamente, afinal: missão dada é missão cumprida! Mas, para isso, é preciso munição de diversos tipos, o GP não pode se acomodar, deve sempre buscar o que há de novo no mercado ou a complementação em áreas que não se sente confortável.

6.       Implantar o gerenciamento de projetos em uma empresa exige um projeto cuidadoso, que inclui padrões e boas práticas a serem usados e principalmente as ações de gestão de mudança, pois haverá um impacto na cultura da organização.

7.       Os casos práticos surgem para discussões em seminários, congressos, grupos de discussão e é preciso usar estes recursos.

Sempre há a possibilidade de buscar ajuda em alguém com mais vivência na área em que nos sentimos menos habilitados. A ajuda pode vir de um consultor, mentor ou coach. Como consultora, implanto modelos de gerenciamento de projetos sob medida para a realidade do cliente. Nesses casos o trabalho de gestão de mudança também é essencial.

Sonia Lopes, MSc, PMP, CSM

Compartilhe em suas redes sociais:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.